Se Netanyahu espera desculpas de Lula, vai continuar esperando, diz Celso Amorim

Foto: Reprodução

Assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais, o ex-chanceler Celso Amorim, 81, diz que está um pouco pessimista quanto às chances de interlocução com o governo de Israel, sem que Tel Aviv, nas palavras dele, pare com a matança na Faixa de Gaza.

"Na situação atual não há como negociar", afirma. Conselheiro do presidente Lula, o diplomata também classifica de genocídio a ofensiva israelense em Gaza e reclama de "uma estranha aliança" de Israel com a extrema direita brasileira.

Fonte: Bahia Notícias

Últimas Notícias