“Não podia comer”: ex-funcionários de Gal Costa alegam maus-tratos durante trabalho na casa da cantora

Luciana de Souza Santos e Ed Wilson, dois ex-funcionários da cantora Gal Costa, deram entrada em processos trabalhistas, cujas ações ultrapassam o valor de R$1 milhão,  alegando irregularidades e maus-tratos durante o período que prestaram serviços na casa da cantora. 

“Muito humilhante. A pessoa está com fome, não pode comer. Com um monte de comida lá, não pode comer", foi o que relatou Luciana ao programa Domingo Espetacular.  A ex-funcionária descreveu o dia a dia no trabalho e disse ter sofrido discriminação.

Luciana ainda falou que “nunca viu carinho" entre Gal Costa e Wilma Petrillo, quem hoje cuida do inventário da cantora e disputa a herança da artista com o filho dela, Gabriel. 

Os processos movidos contra o espólio (patrimônio deixado por Gal) e contra Wilma Petrillo, viúva da cantora, envolvem pagamento de 13° salário, seguro desemprego, reajuste salarial, horas extras e férias.

Fonte: Metro 1

Últimas Notícias