Homem bêbado para no hospital após introduzir copo de 12 cm nas partes íntimas; saiba detalhes

Um homem nepalês foi internado e submetido a uma cirurgia para remoção de um copo de 12 cm que estava alojado em seu ânus. Segundo relatos do Nepal Medical College and Teaching Hospital, hospital em que o homem, de 47 anos, estava internado, o paciente esperou três dias antes de buscar atendimento profissional depois de tentar remover o objeto sozinho.

Não obtendo sucesso em extrair o copo, o homem decidiu procurar ajuda. De acordo com o relato inicial do homem, que é casado e vive em Katmandu , ele não havia introduzido o objeto de propósito. Mas, após ser questionado, o homem confessou que introduziu o copo de 12 cm para “fins de autogratificação” quando estava bêbado.

Segundo os médicos que estavam acompanhando o caso do homem, o paciente ficou não apresentava inchaço no abdômen ou lesão anal com sangramento, mas sentia dores. A inserção do objeto no orifício, impediu que o homem defecasse durante dois dias, mas ele ainda conseguia soltar gases.

O relato do periódico indicou ainda que o copo estava alojado em uma posição invertida na parte superior do reto e cólon. A primeira tentativa realizada para remoção do objeto foi manual, mas não apresentou êxito pois o vidro “não podia ser agarrado para remoção” e havia “risco significativamente alto de quebra do vidro que poderia, por sua vez, levar a lesões no intestino”, de acordo com os médicos responsáveis.

A segunda tentativa de remoção do objeto foi pensada para ser realizado um corte do intestino do homem, para permitir que os médicos se aproximassem do objeto. Apesar do planejamento, os médicos não conseguiram retirar o vidro pelo ânus "porque o vidro estava alto, invertido e bem preso".

Após tantas tentativas, o objeto só conseguiu ser retirado após a realização de uma enterotomia sigmóide, procedimento que realiza uma manobra de incisão no intestino.

Após a cirurgia, o homem só conseguiu defecar cinco dias depois, no sexto dia tendo o dreno pélvico, que havia sido colocado para evitar o acúmulo de líquido, removido. O paciente recebeu alta do hospital uma semana depois.

Apesar de chocante, os médicos relatam no artigo que inserções retais não são incomuns. Entre os objetos relatados pelos especialistas, estão: garrafas de refrigerante e cerveja, recipientes de desodorante, objetos de madeira ou borracha, ossos e baterias. E a maioria dos pacientes que dão alta com esse problema inusitado, são homens entre 30 e 40 anos, normalmente com o consumo de álcool presente.

Últimas Notícias