Após matar companheira, vigilante avisou para a filha: “Sua mãe já era”

Após atirar na cabeça da companheira, Paulo Roberto Moreira Soares, 38 anos, disse à filha: “Sua mãe já era”. O vigilante acertou um disparo na testa de Izabel Aparecida Guimarães de Sousa, 36 anos, na frente da criança de 10 anos. A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no Hospital de Base do Distrito Federal.

O crime ocorreu na tarde deste sábado no P Sul, em Ceilândia (DF). Paulo é vigilante e tem registro de Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador (CAC). Ele fugiu da casa com a arma na cintura e em um fusion preto. Até a publicação desta reportagem, estava foragido.

Metrópoles

Últimas Notícias